A Agenda da Administração Biden-Harris

Após os resultados eleitorais nos EUA, leia um sumário sobre as principais medidas previstas, e impacto económico, da nova Administração Biden-Harris:

📣 Uma grande parte das medidas anunciadas são de caráter expansionista, quer do ponto de vista orçamental, quer fiscal;

📣 Envolvem o aumento da despesa pública com apoios às famílias mais carenciadas, através de subsídios e benefícios fiscais; do lado oposto, temos um agravamento dos impostos para os indivíduos com maiores rendimentos;

📣 Investimento público em larga escala na construção e modernização de infraestruturas e combate às alterações climáticas;

📣 Do lado das empresas, agravamento fiscal com aumento da corporate tax rate de 21 para 28% e obrigatoriedade de cumprimento de normas mais apertadas em termos ambientais.

Objetivo: Suportar o crescimento económico, o que deverá ser positivo para as bolsas em geral.

No entanto, para algumas empresas, o aumento de impostos e sobretudo a obrigatoriedade de cumprimento de normas ambientais mais apertadas deverá obrigar a investimentos e custos acrescidos, o que deverá colocar pressão sobre o preço das ações.

Não é explícito se o aumento da despesa pública/investimento será totalmente financiado com o aumento de impostos aos indivíduos de maiores rendimentos e às empresas. Se não for (e é natural que não seja), isso vai obrigar a um aumento do endividamento público. Há uma data que pode ser relevante nesta matéria: o debt ceiling está suspenso, mas expira a 31 de julho de 2021. Se não for renovado, pode limitar a capacidade do governo de fazer mais gastos e investimentos públicos no curto prazo.

O aumento do endividamento, por seu turno, pode colocar alguma pressão sobre a dívida pública americana. Mas com a normalização (esperada) das relações com a China, as yields deverão manter-se a níveis historicamente baixos.

Em relação ao efeito sobre o USD, é difícil antecipar o que pode contribuir mais: se o efeito positivo sobre a economia, que deverá levar o USD a fortalecer; se o aumento do endividamento e expansão monetária, que trará pressão para que o USD enfraqueça.

Uma última nota para a nomeação de novos responsáveis por algumas funções: Treasury, National Economic Council e algumas agências regulatórias (ex: SEC) que poderão ter algum impacto (mas pouco) consoante o perfil das pessoas que forem escolhidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *