Fique a conhecer John Bogle e a Gestão Passiva.

“Não procure a agulha no palheiro. Compre o palheiro todo.”
John C. Bogle, The Little Book of Common Sense Investing.


John Bogle, o fundador da Vanguard e pai dos fundos índice.

O investidor e filantropo John Clifton “Jack” Bogle é mundialmente reconhecido por ter fundado, em 1975, a gestora de fundos de investimento norte-americana Vanguard, e por ter concebido o primeiro fundo de replicação de índice. Bogle estudou Economia na Universidade de Princeton, especializando-se em fundos de investimento, e desde cedo demonstrou uma forte inclinação para os princípios da gestão passiva sobre os quais construiu mais tarde o Vanguard Group.

Bogle considerava que seria virtualmente impossível para um investidor conseguir bater o mercado consistentemente, e que os potenciais ganhos obtidos são normalmente diluídos pela pesada estrutura de custos associada à seleção dos títulos –  número de transações – resultando numa rendibilidade inferior à média. Com base neste princípio, concebeu o primeiro fundo  índice, permitindo aos seus investidores aceder a todo o mercado de uma forma simples, integral e com custos extremamente competitivos.

Poucas transações e custos baixos – os pilares da gestão passiva.

Vamos então clarificar os conceitos de gestão passiva e fundos índice, dado serem fundamentais para entender esta filosofia de gestão de carteiras. O investimento de gestão passiva consiste no investimento em carteiras que necessitem de poucas transações – buy-and-hold, apenas com rebalanceamentos (ou ajustes) ocasionais – de modo a reduzir drasticamente os custos associados ao investimento, melhorando assim a rendibilidade.


Os custos são muitas vezes ignorados, mas o seu poder de destruição de valor deve ser sempre tido em conta. Em seguida apresentamos um exemplo de um investimento de 30 anos com uma rendibilidade anual bruta de 10% feito através de 2 diferentes fundos de investimento: um fundo de gestão passiva (com um custo de 0,2% por ano) e um fundo de gestão ativa (com um custo de 1% por ano).

Apesar de anualmente a diferença de custos entre os dois fundos ser de apenas 0,8%, ao fim de 30 anos essa mesma diferença capitaliza ao ponto de representar mais de 3 vezes o valor inicialmente investido.

É precisamente nos custos radicalmente baixos que reside a grande vantagem da gestão passiva, e os de fundos  índice são a base  desta filosofia de investimento. Os investidores que comprem unidades de participação nestes fundos estão, de fato,  a investir em todos os ativos de um índice. Para além disso, os fundos índice gerem-se praticamente sozinhos, porque não é necessária qualquer seleção de ativos individuais – a entidade gestora apenas necessita de assegurar que as proporções na sua carteira equivalem ao índice que replicam. É desta simplicidade que provêm os baixos custos em comparação com fundos de investimento mais tradicionais com uma gestão mais ativa.

Practice what you preach – Gestão passiva na Dolat.Digital

Na Dolat.Digital, acreditamos com convicção que a gestão passiva através do investimento em fundos índice é a melhor maneira de investir o seu dinheiro. Os princípios brilhantemente resumidos por John Bogle no seu livro The Little Book of Common Sense Investing estão na base da nossa cultura e acompanham sempre os planos de investimento que aconselhamos  aos nossos clientes. Para o ajudar a entender porquê, propomos que observe o seguinte gráfico:

Como pode observar no gráfico , num horizonte temporal de 5 anos, aproximadamente 80% dos fundos de gestão ativa nos Estados Unidos e na Europa tiveram um desempenho inferior à rendibilidade do mercado, e mesmo considerando outras regiões, os valores nunca são inferiores a 70% (no Japão) e chegam até a valores próximos dos 90% (no México).

A conclusão? Encontrar um fundo de gestão ativa que consiga consistentemente bater a desempenho do mercado é, efetivamente, tão difícil como encontrar uma agulha num palheiro – isto não significa que as agulhas não existam, apenas que são uma pequena fração no universo dos fundos de investimento comercializados.

The Little Book of Common Sense Investing
de John C. Bogle

7 dicas de investimento de John Bogle

Para concluir, deixamos aqui 7 curtas dicas de investimento de John Bogle, adaptadas de um artigo escrito pelo economista para o CFA Institute:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *